A cultura do Faça Você Mesmo transforma hábitos de consumo e abre espaço para a criatividade

lilicorderosa.com.br

 

Arregaçar as mangas e fazer alguns serviços por conta própria está em alta

 

Crise, reaproveitamento, valor afetivo, baixo custo, terapia, crítica ao consumismo… São inúmeros os motivos pelos quais cada dia mais e mais pessoas se tornam adeptas a produzir com as próprias mãos. E ainda, passam a ajudar e ensinar outros a fazerem o mesmo.

 

A cultura do Faça Você Mesmo (no inglês DIY: do it yourself) começou logo após a Segunda Guerra Mundial. Com os recursos de materiais e bens de consumo cada vez mais escassos por causa dos longos anos de batalha, mulheres americanas e europeias começaram a aproveitar itens e objetos que tinham em casa, para poder reformar móveis, roupas, calçados e quaisquer outros materiais que precisavam ser substituídos.

 

De uns tempos pra cá o DIY vem ganhando espaço no mercado por três motivos específicos: redução de custos, sustentabilidade e exclusividade. A possibilidade de reaproveitar materiais para criar um objeto novo, seja para decorar sua casa ou para dar um toque diferente ao seu vestuário, é mais que satisfatório para quem precisa economizar um pouco de dinheiro ou fugir do consumismo que domina o comércio. Essa prática também ajuda a reduzir resíduos e desperdícios de materiais, tornando o DIY um movimento sustentável e bastante atual.

 

 

lilicorderosa.com.br

Valores inerentes

 

O fato de a peça ser feita pela própria pessoa altera a sua importância em diversos aspectos.

 

 

Alguém que transforma um objeto antigo da família em algo para decorar a casa, por exemplo, inclui aí o valor sentimental, a economia de não ter comprado mais uma mobília, a sensação nostálgica das boas lembranças, as histórias que vai contar aos amigos de como você fez a peça. O valor é adquirido em vários sentidos.

 

Além disso, a prática do Faça Você Mesmo rompe o mito do profissional especialista como único capacitado a realizar determinadas tarefas. A ideia é que, com criatividade e inspiração, além de informação e materiais adequados, qualquer pessoa pode produzir algo por conta própria. Com uma busca rápida no Google é possível achar varias formas de criar um vestido sem saber costurar, realizar uma festa ou decorar um cômodo de sua casa.

 

As pessoas estão cada vez mais sentindo a necessidade de procurar uma alternativa ao que é muito pronto. O que compramos nas lojas é na maioria das vezes algo que foi produzido em série e não tem singularidade e pessoalidade.

 

 

lilicorderosa.com.br

 

     Sustentabilidade,

     Exclusividade   e

     Economia

 

 

Parte desta demanda do mercado por peças únicas e exclusivas, ou seja, o consumo do que é artesanal, já encontra resposta hoje na indústria das séries limitadas (carros, roupas, acessórios, por exemplo) assinadas por artistas ou designers, mas que estão geralmente associadas a luxo e preços altos. Outra gama de produtos artesanais pode ser encontrada com venda direta dos produtos em sites coletivos, mas na maioria das vezes esses produtos se tornam repetitivos e perdem a exclusividade.

 

Só que as pessoas querem criar, construir, modificar ou consertar suas coisas sozinhos, sem ter de recorrer à indústria ou a profissionais caros e garantindo um diferencial a sua peça. A oferta de programas de TV que ensinam a produzir móveis, decorar casas, criar roupas e acessórios é crescente e está acompanhada do aumento de lojas que fornecem materiais e ferramentas, tanto de bricolagem como de artesanato em geral, para promover a prática DIY.

 

 

lilicorderosa.com.br

O que é preciso antes de iniciar um Projeto DIY?

 

Se você gostou da ideia e pretende começar um projeto DIY, siga esses passos:

 

 

1. Inspire-se com vídeos e fotos na internet;

 

2. Faça um planejamento;

 

3. Compre os itens necessários para complementar o projeto, sempre fazendo um orçamento e buscando os melhores preços;

 

4. Peça ajuda aos familiares e amigos quando for necessário;

 

5. Faça pequenos testes para verificar se vai dar certo;

 

5. Trabalhe em etapas;

 

6. Junte disposição para colocar a mão na massa e pronto!

 

Um projeto DIY trata-se não só de construir as coisas do zero, mas de criar novas soluções e estar atento para as possibilidades de inovação.

 

O DIY é uma brincadeira, um passatempo, uma experiência. É a expectativa de buscar saídas criativas, sustentáveis e econômicas. É aprender com cada projeto e, principalmente, descobrir que se é capaz de fazer praticamente tudo.

 

 

lilicorderosa.com.br

 

Então, gostou deste artigo? Espero de alguma forma te ajudar a gerar mudanças em seu ano novo!

Cadastre-se na newsletter e receba grátis o ebook “7 passos para fazer seu ano novo acontecer”.

Entra em contato e me conta o que achou. Vou ficar muito feliz em receber seu email.

 

Até Breve!

Beijokas

Lili

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *